domingo, 31 de janeiro de 2010

Uma dinastia de 23 anos X Um Novo Nome. (1)

No final dos 80, surge um projeto eleitoral em Campos que apelidam de (Projeto) Muda Campos. Bastante inteligente e que aglutinava nomes de todos os naipes. Cada um com a sua contribuição nas mais diversas áreas (não creio que o idealizador, à época, tivesse conhecimento da classificação de Platão acerca das personalidades. Ouro, prata e bronze). Pois, até hoje, a maioria se orgulha de ter participado daquilo... (principalmente quando o chefe está no poder). Todos foram usados, e bem usados. Pela grande capacidade de muitos que o escreveram, o programa realmente poderia ter sido bom para Campos, não fosse apenas uma peça publicitária.
Bem, no que resultou?


Vamos lá:
Zezé Barbosa é derrotado com Jorge Renato. Assume Garotinho (vice-prefeito (vp):Adilson Sarmet-PT 1989), que elege Sérgio Mendes (vp:Amaro Gimenes-PL), vítima estratégica do próprio Garotinho (vp:Arnaldo PDT), que retorna , sai pra ser governador, e reelege Arnaldo (vp:Pudim) . O patrono repete com este o mesmo rompimento que se deu com o Sérgio e lança Pudim, que é derrotado por Campista (vp:Toninho Viana), candidato de Arnaldo. Campista cassado.
Um novo embate entre Garotinho e Arnaldo. O primeiro repete Pudim e o segundo Mocaiber (vp: Roberto Henriques PDT), que vence. Arnaldo tenta voltar, mas desta vez é derrotado por Garotinho, que vence com sua esposa, a D. Rosângela (vp: Chicão:Partido da Família 2009/2012).

Percebam:

- Os personagens são intrínsecos.

- Até agora, a dinastia que chegou para terminar com a “oligarquia dos coronéis” já garante 23 anos de trono.

- Nas diversidades, contou com quase todos os matizes partidários. Algumas agremiações integravam as equipes para elaboração de projetos de ações governamentais (Planos de Governo meramente eleitoreiros). E comumente eram depois alijados. Quando não muito, recebiam a pasta e eram forçados a “pedir pra sair”, pois não conseguiam pôr em prática suas metas. Outros não eram nem convidados, pois seus membros “não tinham intimidade com o poder”.

- Este é o resumo do resumo da chegada da dinastia ao poder. Mas como manter-se aí este tempão? Haja vista as amizades fetais, rompimentos bélicos, brigas e ajustes jurídicos, conciliações e reconciliações inimagináveis. Hollywood é pinto! Royalties altos!

- Estruturalmente, quais as mudanças coletivas palpáveis? E as mudanças individuais?

- Por que os que tentaram lhes fazer frente não alcançaram sucesso?

- Etc, etc, etc...
(fragmentos de um encontro)

10 comentários:

Argus disse...

correção: Adilson Sarmet foi eleito vice-prefeito pelo PSB. Depois de um ou dois anos, filia-se ao PT.

Anônimo disse...

Todos os prefeitos nestes 23 anos tem a mesma metodologia e são do mesmo grupo. O que seria mudar? Quem, ou que grupo, que ainda não existe, poderia representar mudança?

Joca Muylaert disse...

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Uma dinastia de 23 anos X Um Novo Nome. (1)":

Garotinho não perde mais eleição em Campos, o erro que ele cometeu com Arnaldo ele não comete de novo.
Um grupo novo pode até surgir, mas ganhar eleição é outra história...
Garotinho é um perito em eleições (este parênteses foi suprimido).


Amigo Anônimo,
Infelizmente suprimi para evitar futuros transtornos jurídicos.
Mas sei e concordo plenamente com você.
Obrigado pela passagem por aqui.
Abraos
Quem vai ganhar dele?

Joca Muylaert disse...

EM TEMPO:

"Quem vai ganhar dele?" é a última frase da postagem do nosso Anônimo.
Não faz parte do meu texto.

Anônimo disse...

Porque todos os homens e mulheres públicos desta cidade não se unem em torno de uma candidatura realmente de mudança? Por exemplo: Sérgio Diniz, Antônio Carlos Rangel, Roberto Moraes, Andral Tavares, Franklin Cherene, Éric Shunk, Filipe Stefan, Carlos Morales, Geraldo Coutinho, Levi Quaresma, Ricardo André, Fábio Siqueira, Jane Nunes, Joca Muylaert, entre outros.

Blergh. disse...

Caramba, essa soma não tem resultado positivo:

Levi Quaresma, Sérgio Diniz e Geraldo Coutinho.

Um fascista, um racista (que chamou o presidente de cearense burro em seu blog) e um usineiro escravocrata.

Tenham paciência.

Anônimo disse...

Esse balaio de gatos não daria certo! Concordo com o coment. acima...é muita contradição política e de costumes juntos. Esse é um país cheio de diferenças inconciliáveis e Campos não é diferente! Inclusive, acredito que muitos desse nomes narrados já estão alinhados com o garotinho mas disfarçam...só o Lula consegue uma eleição simplificada na base do "nós contra eles" no caso,Serra X Dilma.

Anônimo disse...

Eu prefiro Sérgio Diniz, Levi Quaresma e Geraldo Coutinho à Garotinho.

Herval Junior disse...

Temos que reinventar Campos,apoiar uma nova liderança sem vícios políticos.Mas, quem?
A cidade tá na mão dessa máquina poderosíssima que se chama PMCG.
Joca,um abração!

Blergh. disse...

Levi Quaresma, um déspota de proporções garotinescas. Só não tem voto.

Sérgio Diniz, um pequeno-burguês, conservador, que nunca submeteu seu "moralismo" a nenhuma provação que garantisse sua honestidade. Além de tudo mais, racista: chamou o presidente de cabeça-chata burro.

Bom, resta o senhor de engenho. O presidente da Firjan que silencia e se acumplicia aos seus pares escravocratas, ou quando ele mesmo se beneficia do modelo.

Eu não quero o pior para substituir pelo mais ou menos pior.

Junte todos esses e jogue no lixo.