quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

"Dinheiro público na roda da agiotagem"


Em sua página no face, o professor João Vicente analisa inércia política do povo em relação às negociações dos royalties em Campos dos Goitacá, interior do RJ.
João Vicente Alvarenga, Professor, Mestre em Filosofia
Alcançar a democracia plena é uma utopia. Esse regime de governo conta com uma imprensa livre de censuras, instituições que garantem os direitos do cidadão e a independência entre os poderes. Cada poder age na sua esfera própria sem interferir no outro. O Executivo não deve ter relações promíscuas com o Judiciário, muito menos com o Legislativo.
O povo, que é maioria e que tem o poder de decidir quem serão suas lideranças políticas, seus representantes, é tímido para erguer sua voz e questionar a rede intrincada das decisões que envolvem o dinheiro público. A atuação de parlamentares é, às vezes, essa voz de representatividade legítima do povo.
Sem querer desmerecer esse segmento social, percebe-se um despreparo para dialogar e compreender com clareza as ações do Executivo e suas relações com o Legislativo.
A Prefeita Rosinha Garotinho, com a cumplicidade irresponsável dos vereadores rosáceos, penhora dinheiro do povo em bancos públicos, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. A matéria não deixou de ser debatida na Câmara Municipal, mas, como era de se esperar, teve o aval dos vereadores da situação e a reprovação dos vereadores da oposição.
Por outro lado, a população se mostra indiferente diante de uma fato de tamanha gravidade. A população despreparada, sem o mínimo de informações, não vai prestar atenção no que ela não entende, e portanto, se torna ausente, não questiona, não protesta, não argumenta e não pede satisfação à Prefeita Rosinha Garotinho. É neste ambiente que podemos afirmar que a democracia ainda é uma utopia. Até quando?
A cessão - até 31/12/2016 - a instituições financeiras públicas de créditos decorrentes de royalties, participações especiais e compensações financeiras relacionadas à exploração de petróleo e gás natural, com o objetivo de pagamento de empréstimos feitos pela PMCG, é uma atitude de autoritarismo e irresponsabilidade, porque o uso do dinheiro público, do povo, para finalidades que não transparecem suas verdadeiras intenções, gera um clima de desconforto e desconfiança.
Como bem lembrou o colunista Esdras, da Folha da Manhã, que em 2003, a então Governadora Garotinho enviou mensagem à Assembleia Legislativa pedindo convocação extraordinária dos deputados para votar projeto de lei que autorizaria a Governadora Rosinha Garotinho a antecipar R$ 300 milhões da receita de royalties, oferecendo como garantia o repasse de royalties feito pelo governo federal ao longo do ano.
Situação similar, a Prefeita Rosinha Garotinho é reincidente.
João Vicente Alvarenga, Professor, Mestre em Filosofia

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Campos- RJ: MAIS UM ANO COM FALTA DE MEDICAMENTOS PARA TRANSPLANTADOS RENAIS EM CAMPOS!!! - A HISTÓRIA SE REPETE HÁ 3 ANOS!!!


Ubirajara Kelly 22 9976-56351
Mais uma vez os pacientes renais transplantados estão sendo sacaneados por essa administração irresponsável e incompetente que reina absoluta na cidade de Campos dos Goytacazes, RJ., pois novamente diversos remédios para transplantados estão faltando na farmácia dos crônicos renais. É o meu caso com referência ao medicamento AZATIOPRINA 50 MG 90 comprimidos, que não receberei nenhum esse mês. Existem diversos outros casos de medicamentos para transplantados em falta, inclusive há meses. Já está consagrado que todo ano no mês de dezembro ficamos sem algum medicamento, pondo em risco a vida e o órgão do paciente renal transplantado, que sem medicação fica sujeito a processo de rejeição do órgão e ou danos irreversíveis no mesmo, até a morte!!!
O SUS gasta milhares de reais para pagar um transplante de rim, para que no final das contas, a falta de medição anti-rejeição possa vir a detoná-lo com prejuízos para o paciente e a sociedade que pagou pelo transplante via nossos impostos! Um paciente desses que tenha que voltar a hemodiálise pela perda do rim, tem um alto custo de tratamento, infringindo à sociedade novos e altos custos e ao paciente uma vida difícil, tormentosa, com agravamento do seu quadro clínico e com aumento do risco de morte e do seu sofrimento. TUDO ISSO PORQUE DEIXAM FALTAR MEDICAÇÃO ANTI-REJEIÇÃO!!! Quero ver se fosse na mãe deles se faltariam medicamentos. Cambada de inconsequentes e perversos, isso é o que são!!!
A Prefeitura de Campos dirá, como sempre o faz, que não é responsabilidade dela e sim do Governo do Estado do Rio, fornecer a medicação, mas ocorre que pela nossa Constituição Federal a saúde é dever do Estado e isso inclui todas as esferas da administração pública, seja ela Federal, Estadual ou Municipal e nesses casos o Município deve substituir ao Estado na obrigação de fornecer o medicamento. Se não o faz prontamente, é por ignorar propositadamente a gravidade da situação, negligência para com o munícipe e total despreparo para lidar com a saúde, mesmo tendo um médico como Vice-Prefeito e outro à frente da Secretaria de Saúde e do Bem Estar Social. Isso só agrava a responsabilidade dos mesmos. Estou denunciando a situação ao SUS, como sempre o faço e lá virão desculpas esfarrapadas por parte do Estado e outros. Para festas e shows nunca falta dinheiro, mas para a saúde de quem precisa, isso é outra coisa... Que esses indivíduos escrupulosos ardam no inferno um dia, ou que venham sofrer dos mesmos dissabores.
Ubirajara Kelly 22 9976-56351

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Parabéns arquitetos e estudantes desta arte.

E é!
INSTITUÍDO O DIA DO ARQUITETO E DO URBANISTA

O CAU - Conselho de Arquitetura e Urbanismo publicou no Diário Oficial a resolução número 8, que institui o Dia Nacional do Arquiteto e do Urbanista

11 8 ISSN 1677-7042 – DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO - Seção 1 – Nº 16
Segunda-feira, 23 de janeiro de 2012
CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL
RESOLUÇÃO Nº 8, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011

Institui o Dia Nacional do Arquiteto e do Urbanista.

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), no uso das atribuições que lhe conferem o art. 28, inciso I da Lei n° 12.378, de 31 de dezembro de 2010, e o art. 29, incisos I e II do Regimento Geral Provisório aprovado na Sessão Plenária Ordinária n° 1, de 18 de novembro de 2011, e de acordo com a deliberação adotada na Sessão Plenária Ordinária n° 2, realizada nos dias 14 e 15 de dezembro de 2011; resolve:

Art. 1° Fica instituído o Dia Nacional do Arquiteto e Urbanista, a ser comemorado no dia 15 de dezembro, em homenagem ao Arquiteto Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares, que tem nesse dia a sua data natalícia.

Art. 2° Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

HAROLDO PINHEIRO VILLAR QUEIROZ
Presidente do Conselho
E é!
INSTITUÍDO O DIA DO ARQUITETO E DO URBANISTA
O CAU - Conselho de Arquitetura e Urbanismo publicou no Diário Oficial a resolução número 8, que institui o Dia Nacional do Arquiteto e do Urbanista
11 8 ISSN 1677-7042 – DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO - Seção 1 – Nº 16
Segunda-feira, 23 de janeiro de 2012
CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL
RESOLUÇÃO Nº 8, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011
Institui o Dia Nacional do Arquiteto e do Urbanista.
O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), no uso das atribuições que lhe conferem o art. 28, inciso I da Lei n° 12.378, de 31 de dezembro de 2010, e o art. 29, incisos I e II do Regimento Geral Provisório aprovado na Sessão Plenária Ordinária n° 1, de 18 de novembro de 2011, e de acordo com a deliberação adotada na Sessão Plenária Ordinária n° 2, realizada nos dias 14 e 15 de dezembro de 2011; resolve:
Art. 1° Fica instituído o Dia Nacional do Arquiteto e Urbanista, a ser comemorado no dia 15 de dezembro, em homenagem ao Arquiteto Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares, que tem nesse dia a sua data natalícia.
Art. 2° Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.
HAROLDO PINHEIRO VILLAR QUEIROZ
Presidente do Conselho

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Restaurante Universitário da UENF será inaugurado dia 19

Restaurante Universitário da UENF
Restaurante Universitário da UENF
Cadastramento dos estudantes e servidores começa a ser feito segunda-feira
A partir da próxima sexta-feira, 19/12/14, toda a comunidade universitária da UENF poderá realizar suas refeições dentro do campus. E os estudantes carentes terão a possibilidade de almoçar gratuitamente. O Restaurante Universitário da UENF será inaugurado às 14h pelo governador Luiz Fernando Pezão e pelo reitor da UENF, Silvério de Paiva Freitas, além de outras autoridades. A previsão é de que sejam servidas cerca de 3 mil refeições diárias à comunidade universitária, entre almoço e jantar.
— Desde a implantação da Universidade o Restaurante Universitário é desejado pela comunidade da UENF. A Reitoria se empenhou de todas as formas para que este sonho fosse concretizado, não medindo esforços para o início do seu funcionamento — afirma o reitor da UENF, Silvério de Paiva Freitas.
A partir desta segunda-feira, 15/12/14, terá início o cadastramento dos alunos e servidores da Universidade interessados em utilizar o restaurante. O cadastramento será feito no Centro de Convenções Oscar Niemeyer (sala ao lado da TEC Campos). Para tanto, é necessário levar um documento de identificação. A partir de terça-feira, serão realizados testes de operacionalização, cujas informações serão prestadas no ato do cadastramento.
restaurante 2Os preços das refeições serão diferenciados para cada segmento. Alunos cotistas dos cursos de graduação — e, portanto, comprovadamente carentes — não pagarão por uma das refeições diárias. O preço de cada refeição para os alunos de graduação é R$ 3,00 e para os alunos de pós-graduação, R$ 4,00. Para os servidores e demais membros da comunidade universitária, cada refeição sairá a R$ 5,96. O Restaurante funcionará das 11h às 14h para almoço e das 17h30 às 20h para o jantar.
A administração do Restaurante Universitário estará a cargo da empresa MMW Alimentação, vencedora da licitação. Trata-se de uma empresa com ampla prática no ramo de restaurantes populares, com estabelecimentos em Vitória (ES) e Itaboraí (RJ). No Ceará, a empresa administra um restaurante universitário dentro da Universidade de Integração Internacional de Lusofonia Afrobrasileira (Unilab). A empresa contratou, no total, 52 funcionários, a maioria de Campos dos Goytacazes. São dois cozinheiros, três nutricionistas, um técnico em Nutrição, quatro ajudantes de cozinha, um açougueiro, dois ajudantes de açougueiro, 22 copeiros, 15 auxiliares de serviços gerais e dois auxiliares administrativos.
— Temos convicção de que o início do funcionamento do Restaurante irá refletir positivamente na qualidade de vida e permanência dos nossos estudantes na Universidade — conclui o professor Silvério.
ascom/uenf

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Assentamento Josué de Castro já conta com biodigestor da UENF, Campos - RJ.

Visita a Morro do Coco Biodigestor
Tanque contendo o biofertilizante, material que sobra da produção do biogás e que é usado na agricultura local (Foto: Alexsandro Cordeiro)
Equipamento, que transforma dejetos suínos em biogás e biofertilizante, pode gerar renda para os assentados
Já se encontra em funcionamento, no assentamento Josué de Castro, em Morro do Coco,  o biodigestor idealizado pela UENF para a geração de energia elétrica a partir da degradação de dejetos suínos. Aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e executado em parceria com as empresas Queiroz Galvão e Jordão Engenharia, o biodigestor foi apresentado na manhã da última quinta-feira, 04/12, pelo coordenador do projeto, professor Paulo Nagipe, do Laboratório de Ciências Químicas do Centro de Ciência e Tecnologia da UENF (LCQUI/CCT).
A principal finalidade do projeto é a geração de 25 KVA de energia para consumo interno (casas de bomba e iluminação). Um diferencial do biodigestor da UENF é o uso de glicerina (produto que sobra da produção de biodiesel) misturada às fezes suínas. A glicerina permite acelerar o processo, que normalmente demanda um período de dois meses, para apenas 20 dias. O resíduo da produção do biogás é utilizado como biofertilizante no próprio assentamento.
Segundo Nagipe, o projeto começou a ser implantado há cerca de dois anos, ao custo total de aproximadamente R$ 1 milhão. Agora, as 35 famílias que vivem no assentamento vão passar por capacitação para lidar com a suinocultura. Para o professor, trata-se de um minimodelo de reforma agrária: além de propiciar redução nos gastos com energia, o biodigestor vai permitir gerar renda para os assentados, não só
O professor Paulo Nagipe explicou o processo de produção do biogás
O professor Paulo Nagipe explicou o processo de produção do biogás (Foto: Alexsandro Cordeiro)
com a venda da carne como pelo aumento da produção agrícola devido ao uso do biofertilizante.
— Começamos do zero e passamos por muitas dificuldades até chegar aqui. Agora que a Universidade fez a sua parte, mostrando que o projeto é viável, esperamos contar com o apoio do poder público e de outras empresas para que ele possa ser ampliado. O mesmo processo pode ser utilizado para produção de energia a partir do esgoto doméstico — disse.
Na fase de laboratório, o projeto teve também o apoio da Usina Termoelétrica Norte Fluminense. Outros dois professores da UENF estão dando apoio ao projeto do biodigestor: Fábio da Costa Henry, do Laboratório de Tecnologia de Alimentos (LTA), especialista em processamento de carnes (que também participou da demonstração); e Rita Trindade, do Laboratório de Zootecnia e Nutrição Animal (LZNA), que atua na área de suinocultura.
Também estiveram presentes os engenheiros Wellington Rocha e Paulo Bastos, da Jordão Engenharia; o gerente técnico da Secretaria Municipal de Petróleo, Energias Alternativas e Inovação Tecnológica, João Batista Pessoa, além de estudantes e servidores da Universidade.
(ASCOM-UENF)

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

"Fedor" no Jardim Carioca, Campos dos Goitacá - RJ é denunciado por engenheiro e ex-vereador em rede social

"Convido neste instante a prefeita de Campos junto com seu secretário de obras, para vir agora aqui na rua Santo Antonio esquina de rua Batista Pereira no Jardim Carioca, para sentir de perto o fedor que a galeria de águas pluviais que vcs fizeram está exalando dos ralos de coleta neste momento. Sou nascido e criado neste local e nunca existiu isso aqui, tudo começou em 2014 depois desta obra. Literalmente vcs fazem um governo com cheiro de merda. Enquanto não repararem isso, irei me referir a vcs desta forma, pois esse é o respeito que vcs tem por nós.
"Governo de merda, com cheiro de merda".
Se resolverem consertar, eu paro de chama-los assim. Por enquanto vai ser assim, pois tenho motivos. Nós moradores, não somos obrigados suportar isso, corja de incompetentes."

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Mestre Freyre...

“Se dependesse de mim, eu não seria jamais maduro, 

nem nas ideias, nem no estilo. Seria sempre verde, 

incompleto, experimental”


 Gilberto Freyre, sociólogo, antropólogo e historiador, autor

Prefeita de Campos dos Goitacá - interior do RJ - aos olhos de um jovem e crítico político que desponta



Por
A prefeita Rosinha Garotinho é mesmo mais que uma chefe do Executivo, é uma verdadeira artista. A definição de uma mulher “multi-task”. Como se não bastasse comandar o município, criar trezentos e trinta e três filhos e atacar de cantora nos palcos campistas, ela, agora, também é comediante.
Além de “pedir ajuda” à população na realização do “Verão que já foi da Gastança”, por falta de dinheiro, lança um decreto que reduz em 20% os valores dos contratos e convênios firmados com a Prefeitura, tudo isso devido, segunda a primeira dama de luxo, aos erros das gestões anteriores, assim como o rombo de 100 milhões descoberto em uma auditoria realizada de 2009 a 2012. Tudo culpa dos outros. Ou seja, a mesma ladainha de sempre. Então tá, dona Rosinha, a Prefeitura está quebrada e a senhora não tem nada a ver com isso. Os shows milionários realizados no Farol, o aumento absurdo do subsídio dos DAS (cargos de confiança), assim como a criação de novas secretarias, os excessivos e desnecessários fantasmas que recebem e não trabalham e as campanhas milionárias do maridão e da filhinha não têm absolutamente nada a ver com isso, certo? Ok, acredito...
Só uma observação: a piada não é lá essas coisas. As pessoas não devem ter gargalhado tanto assim, mas não liga, não, Rosinha. Esse povo tem um estranho senso de humor. Até porque, elegê-la foi, de fato, uma brincadeira de muito mau gosto. Reelege-la então...
Mas relaxe. Acho que a carreira da Excelentíssima prefeita, como comediante, vai tão longe quanto a de cantora. O palco do Trianon a espera.

Rombo na prefeitura de Campos - RJ é fofoca da oposição


Claro que a culpa do rombo na prefeitura de Campos dos Goitacá, no interior do RJ, é da oposição e do povo que está reclamando! Elementar...
Manter uma base na Câmara sem qualquer necessidade de barganha - afinal todos comungam e sempre comungaram da ideologia do "grupo" e por isto se doam até a alma > isto não tem custo.



Aliados e voluntários que vão fazer campanha política são pessoas totalmente desprendidas - chega até ser bonito o fato de cerca 100 % dos cargos de confiança e terceirizados também dividirem a comunhão política e ideológica com o governo. Afinal, a liberdade de se criticar um governo é natural - o que não se vê por aqui > isto também não tem custo.
O município cresce a olhos vistos. Obras, obras e mais obras - todas em seus prazos e preços equivalentes aos reais custos. Se há um ou outro aditivo, é claro, há que se seguir a inflação e algumas necessidades técnicas > obras honestas, com preços justos e sem comissões também não onera nada.
Então não há nada de rombo!!!
Isso é firula da oposição. Bem que um secretário disse (+/-) hoje no programa Página Aberta, - 107,5 fm Educativa Música E Informação -: "A oposição precisa aprender a fazer oposição ao governo e não ao município"

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Campos dos Goitacá, no interior do RJ , se une pela PAZ em ato na praça central da cidade, às 17h.

Grito de paz

A Praça São Salvador amanheceu de luto. A violência mobilizou a sociedade em um ato simbólico pela paz e 150 cruzes foram colocadas no local, representando as vítimas de homicídios no município. Apenas neste ano, segundo levantamento da Folha da Manhã, 176 pessoas foram assassinadas em Campos. Segundo os organizadores do movimento, até o final da tarde, outros 26 crucifixos serão colocados na praça.
Aos 34 anos, o supervisor de operação offshore Mário Márcio Alvarenga se mostrou revoltado com a violência. O latrocínio que vitimou a jovem Elieni da Silva Carvalho, de 23 anos, na última quinta-feira (13) motivou uma postagem de desabafo nas redes sociais que já teve mais de 4 mil curtidas. Da revolta, surgiu a ideia de realizar o ato “Grito de paz – Movimento pela vida”, com a representação das vítimas através das cruzes.
“Sou campista e pai de família. Não podemos nos calar diante de tanta violência”, declarou Márcio. Às 17h, um grupo se reunirá na praça onde serão lidos os nomes das 176 pessoas que foram mortas em Campos desde o início do ano.
L.G.
Foto: Carolina Barbosa
Fonte: http://www.fmanha.com.br/geral/1416222718

sábado, 15 de novembro de 2014

Governo rosicler de Campos dos Goitacá - interior do RJ - acabou com 'Lan Houses' públicas ~e conta com o esquecimento coletivo

PROMESSAS VÃS I:


Alguém tem notícia sobre o Navegar é preciso, projeto que beneficiava milhares de campistas com suas dezenas de núcleos de informática - Lan Houses públicas. ontem, ao passar pela que existia na rua Saldanha Marinho, em frente à antiga Rua Kirk - Praça da República - nada mais existe. No local funciona algo, salvo engano, para sepultamentos.
Eita cultura tacanha, que destrói o que serve em nome de uma política de abafar realizações de governos anteriores. Depois falam que no governo do estado acabaram com este ou aquele projeto...
No fundo são todos iguais e quem sempre se dana é o povo.
Prestem atenção na notícia veiculada aqui no Blog Página Aberta:

PROJETO NAVEGAR É PRECISO VAI TER UM BANCO DE EMPREGOS
O Centro de Informações e Dados de Campos (Cidac) está firmando parceria com as secretarias de Trabalho e Renda e de Desenvolvimento Econômico e Petróleo para criar um banco de dados onde as pessoas possam buscar emprego. De acordo com o presidente do Cidac, Ranulfo Vidigal, o projeto Navegar é Preciso está sendo reestruturado por determinação da prefeita Rosinha Garotinho, que pediu que as características existentes visando a inclusão digital, fossem mantidas e novos serviços fossem oferecidos. (PMCG – SECOM) no ano de 2009:
E mais no Blog do Werneck

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009


Rosinha planeja reestruturar o Navegar é Preciso



Quando foi criado, pelo ex-prefeito de Campos, Arnaldo Vianna, o Projeto Navegar é Preciso serviu de exemplo e de iniciação para muitos jovens no aprendizado da informática.
Com estandes bem montados e com bons instrutores, o projeto que levava a internet gratuita para o acesso de todos foi sinonimo de sucesso.
Bom, o resto da história todos viram: veio o Alexandre e deixou tudo ir por água abaixo, sucateando os equipamentos e desprestigiando o que poderia estar servindo principalmente a população mais carente.

A esperança foi lançada novamente, e Rosinha parece que quer aproveitar o que foi bem feito, sem rancor, sem perserguir o que deu certo no Governo Arnaldo.

Leia abaixo a notícia:
O Centro de Processamento de Dados de Campos (Cidac) fará uma reestruturaçãonos núcleos do projeto Navegar é Preciso. Segundo o presidente do órgão, RanulfoVidigal, após levantamento, que já está sendo feito, o projeto em cooperação com a secretaria de Educação montará um banco de dados públicos, com acesso via internet.
Na oportunidade, a população poderá conhecer a história de Campos, a economia, a cultura, ficar por dentro das ofertas de emprego, dentre outras informações. “Queremos levar à população, não só o entretenimento, como também o conhecimento da realidade local,promovendo informações de nossa cidade que muita gente desconhece”, completa o presidente.


Uma sugestão:
Estamos esperando este projeto há anos em Santo Eduardo e em outras localidades da região. Que tal usar o espaço vago das ruínas do casarão da Praça Nilo Peçanha para construir um Navegar pra gente? Seria uma ótima vitrine para uma obra pública na nossa localidade, não é mesmo?

.

Canta Brasil!!!

Canta Brasil!!!

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Em Campos dos Goitacá, interior do RJ...


Curtir
E é...
Sinceramente, muita pena tenho da maioria dos vereadores da base do governo ao assisti-los pela tv em seus trabalhos legislativos na defesa da "prefeita rosinha" - esta digna de pena!!! -, quando na verdade, ninguém melhor do que os próprios, sabem que na realidade não é a moça quem dita as ordens na planície. Basta saber com quem cada um se reúne para qualquer tomada de decisão. Mais triste é saber que homens e mulheres considerados livres e independentes se prestem a isso. Qual seria a motivação para um ser humano anular a sua própria alma. A sua essência...Como encaram seus entes que ainda estão em fase de formação moral? Realmente, mais do que triste. Preocupante!!!!
p.s.:Recebi um telefonema de um amigo para "me lembrar" que muitos ali da situação, além de secretários municipais e centenas de funcionários e DAS's são desfrutam da nossa amizade pessoal. Apenas respondi: Fico muito mais triste por isso mesmo. Uns pela vaidade de e$tar no poder; outros pela necessidade de $e manter e a sua família...

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Avaliação altimétrica do Rio Paraíba do Sul pelo engenheiro José Ronaldo Saad

A propósito da questão sobre a transposição das águas do Rio Paraíba do Sul ofereço no anexo, um singelo estudo do ponto de vista puramente altimétrico, que, penso, deveria refletir severamente nessa discussão.


O que não ocorre, lamentavelmente.

É uma pequena consideração numérica do declive desse importante curso d’água.

Ali se observará que, se o declive médio ao longo de toda a extensão do curso do rio (da Serra da Bocaina à foz) já é bem pequeno (1,6 milímetros por metro), no nosso particular trecho (Campos a São João da Barra) é praticamente nulo (0,35 milímetros por metro), ou, QUASE CINCO VEZES MENOR que a média geral.

Esse fator altimétrico é relevantíssimo e jamais foi ventilado nas discussões entre o poderoso estado de São Paulo (que acaba de ser privilegiado por decisão do Ministro Luis Fux, do STF) e o pobre estado fluminense, no qual, desafortunadamente, seus governantes sempre acharam que "o Rio de Janeiro termina no Túnel Rebouças".

Bem, o único que importa, é que alguém, da nossa província, que possua voz poderosa, lembre à Corte que o problema para todos os que dependem da água do Paraíba para sobreviver é efetivamente a falta d'água do dia a dia. Mas para nós, os que vivemos nessa planície de inacreditável e abençoada planura (mas por isso mesmo propiciadora de formidáveis dificuldades no escoamento hidráulico) a questão é enormemente mais complexa.

A temerária língua salina.

Com efeito, estando a cota do ponto mais profundo do canal do Rio Paraíba do Sul 15 metros aproximadamente abaixo do piso da Praça São Salvador,     (significando que está, rigorosa e temivelmente, no nível do mar), na impensável possibilidade ainda que remota de uma transposição mais intensa de suas águas, o que agora mesmo foi autorizado, fatalmente iremos à praia ali, na Curva da Lapa.

O eco sistema de toda a nossa região será perigosamente atingido. Se já não o estiver sendo nessas quatro últimas décadas (remember a destruição do nosso litoral pelo avanço do mar).

Que sejam de vocês, corajosos blogueiros, a iniciativa desse grito, que já se faz tardio.

José Ronaldo Saad
eng. Civil

(cópia para Roberto Moraes e Fernando Leite)."

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

A deterioração da economia brasileira no governo Dilma

                                                    *

A campanha da candidata Dilma Rousseff desinforma a população quando compara os indicadores econômicos do governo PT com o governo do PSDB. Não é possível fazer essa comparação sem levar em consideração a conjuntura em cada momento. A análise do governo PSDB (1995-2002), exige um retorno á história, resgatando a conjuntura da década de oitenta. Para os analistas,  uma década perdida, onde a hiperinflação e os juros na estratosfera desorganizou, substancialmente, a economia do país. Diversos planos tentaram, sem êxito, eliminar a inflação que à época empobrecia a população e inviabilizava a produção. O país convivia com altas taxas de desemprego, baixo padrão de renda do trabalho e um forte aprofundamento da pobreza.

A luta contra a hiperinflação entrou pela década de noventa, gerando a renúncia do presidente Collor de Mello em 1992, quando assumiu o presidente Itamar Franco, no final do mesmo ano. Nomeado ministro da fazenda, o sociólogo Fernando Henrique Cardoso passou a comandar uma tropa de excelentes economistas, dentre eles, André Lara Resende e Pérsio Arida, conseguindo, finalmente, estabilizar a economia com o Plano Real em 1994. Com alta popularidade pelo feito, Fernando Henrique foi eleito presidente e governou o país por dois mandatos. Nos dois mandatos seguinte, Lula pôde conduzir um país estruturado e sem as mazelas tão profundas do período anterior. Tanto é verdadeira essa afirmativa que o próprio Lula tratou de manter as bases da estabilização econômica criadas pelo governo do PSDB, mesmo sendo censurado em alguns momentos por seus pares.

Se a comparação entre os governos Fernando Henrique Cardoso e Lula não é tão simples, em função das diferentes conjunturas, a comparação do último mandato de Lula com o mandato da Dilma é possível e aconselhável, de forma a constatar como o país se fragilizou nestes últimos quatro anos.


Olhando a evolução do PIB (riqueza gerada pelo país); do comércio exterior (inserção externa do país); da formação bruta do capital fixo (investimento agregado) e a escalada da Inflação (corrosão do poder de compra da população), não ficam dúvidas sobre o processo de decadência econômica do país no governo Dilma, nesses quatro anos.










Observe que no período 2007-2010, Lula governava o país, quando explodiu a crise financeira nos Estados Unidos, no final de 2008. Neste ano o PIB cresceu 5,2% contra 6,1% no ano anterior. A crise afetou fortemente o país, gerando uma queda de 0,3% em 2009, apesar do governo considera-la como uma marolinha. De fato, pode-se verificar uma forte recuperação do PIB, que cresceu a taxa de 7,5% em 2010, último ano de Lula.

No período seguinte, sob o comando da presidenta Dilma, claramente, o quadro é desalentador. Já em 2011 observa-se uma forte desaceleração do PIB, com o crescimento de 2,7%. Em 2012, ocorreu uma nova desaceleração com crescimento de 1%, seguido por uma pequena recuperação, onde foi contabilizado um crescimento de 2,3% em 2013, voltando a desacelerar mais fortemente em 2014, onde o crescimento no período de janeiro a junho bateu 0,5%.










Um segundo indicador de tamanha importância é o comércio exterior. No gráfico observa-se uma trajetória de forte queda do saldo da balança comercial (exportação menos importação). No governo Lula, apesar da desaceleração, o país acumulou um saldo de U$$ 110,3 bilhões, enquanto no período seguindo da presidente Dilma, o saldo acumulado foi de US$ 52,5 bilhões, ou seja, queda de  52,4% em relação imediatamente anterior.










O gráfico apresenta as taxas de investimento para os dois períodos. Observe que no período Lula (2007-2010), a média de investimento no país atingiu 18,5%, mesmo com o advento da crise americana, enquanto no governo Dilma (2011-2014 até setembro), a média chegou 18,1%, porém a tendência de desaceleração é evidente.










A inflação média anual no governo Lula atingiu 5,15%, enquanto no governo Dilma a taxa atingiu 5,71%, faltando considerar o último trimestre do ano. A expectativa é de que a inflação deste ano passe o teto da meta que é de 6,5%, com forte risco da indexação de preços, que alimenta a espiral inflacionária.

Importante observar que esse processo de deterioração econômica, ocorre em um ambiente de diversos incentivos a atividade industrial, com a eliminação e redução da tributação, políticas de transferência de renda e flexibilização de encargos sociais sobre folha de pagamento.

Conclusivamente, pode-se afirmar que está instalado na economia brasileira um quadro de resultados que são muito contraditórios, ou seja, ocorrem incentivos diversos ao setor produtivo, mas o crescimento da riqueza é pífia. Por outro lado, o aumento das taxas de juros e mecanismos similares não freiam a escala inflacionária. Como resultado, a receita orçamentária do governo se fragiliza e o equilíbrio da balança de pagamentos fica comprometido, além do comprometimento do futuro do próprio país. Esses argumentos justificam a busca de alternativas!

*Economista, Mestre e Doutor em Engenharia de Produção. Professor da Universidade Estadual do Norte Fluminense. alcimar@uenf.br

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Grupo Verde apoia Pezão no Norte Fluminense.


MANIFESTO DE DIRIGENTES AMBIENTALISTAS DO GRUPO VERDE DO NORTE FLUMINENSE  EM FAVOR DO CANDIDATO PEZÃO  



Após três dias de intensos debates em reunião permanente, nós, ambientalistas Norte Fluminense, que compomos o GRUPO VERDE, com representantes de Campos, São João da Barra, Quissamã, São Fidélis, São Francisco de Itabapoana, Conceição de Macabu, Cardoso Moreira, Italva, Cambuci, Aperibé e Carapebus, acordamos o irrestrito apoio à candidatura do governador Pezão neste 2º turno.

A saber:
Reconhecemos em Pezão o governador que mais realizou ações voltadas para o desenvolvimento socioeconômico do interior do estado. Asfalto na porta, UPAS, UPP’s, estradas e pontes para escoamento das produções, sem falar que foi o governador que mais atenção dedicou ao interior do nosso querido Estado do Rio.
Ressaltamos que a nossa posição é espontânea e sem qualquer contato com a coordenação de campanha ou mesmo com o candidato, portanto puramente antagônica a tudo que o adversário já representa na política do estado do Rio de Janeiro.

Apoiar o candidato da Universal por si só tornou-se inviável. Basta conhecer a base de formação que lhe alçou a mandatos, bem como suas posições retrógradas e fundamentalistas. Só por isso estaríamos desconstruindo uma reputação que, ao longo do tempo, foi se consolidando. Aprendemos a defender programas vanguardistas como o do Partido Verde e a nos identificar com pensamentos e filosofias mais libertárias, o que nos impede radicalmente de fazer uma aliança com o que de mais retrógrado possa representar para o nosso estado do Rio de Janeiro.


Assim sendo, firmamos e reiteramos o nosso irrestrito apoio ao candidato que mais se aproxima dos nossos pensamentos.


Joca Muylaert, Gustavo Matheus, Robson Almeida, José Roberto de Almeida Dias, Manoel Moço, Zézé Demaco, José Amaro Jr., Fabiano de Souza, Luiz Henrique Guimarães, Cadinho M. Barcelos e mais 75 nomes.