domingo, 22 de fevereiro de 2009

Se é administrativo, eu com isso?

Sábado, 21 de Fevereiro de 2009

Os conflitos administrativos de uma cidade não devem e não podem interferir no cotidiano de seus munícipes. O cidadão tem o direito de usufruir o que de melhor a sua comunidade possa oferecer. Isto é meramente o retorno de sua contribuição e dos direitos que, eventualmente, o município passa a ter direito.Nós nos acostumamos muito a defender saúde, educação, cultura, etc, etc...É lógico que são esferas fundamentais para a realidade que vivemos.Infelizmente.Mas não posso deixar de não querer viver rodeado de tapumes e resmingas de obras. Não me interessa se houve sacanagem por parte de fulano ou de sicrano para fazer a obra tal. Se a licitação foi lícita. Terminem a obra e briguem, sei lá onde. O meu direito é ter o Parque Alberto Sampaio para passear seguramente com as minhas filhas, não ter medo de respeitar o sinal ao lado da Praça da República, não ver há quase 3 meses dois futuros chafarizes poluindo nosso astral. Tal qual a Pracinha de Custodópolis, as ruas que foram pavimentadas e estão à míngua...Isto é problema de quem administra, não nosso.Ora bolas, se resolve mudar a cor da pintura das sargetas e dos colarinhos de postes e tudo bem. É tinta bem mais cara do que a cal, mas cumprem-se as ordens (tá claro que é pressão pra conversa futura com a concessionária). Isto se faz. Quem paga a diferença? A concessionária? Esta despesa extra já estava embutida na planilha?Senhores do condado,Terminem as obras que estão por aí espalhadas. Invoquem a procuradoria para correr atrás do prejuízo, isto é interno!Eu nem ninguém tem de ser obrigado a conviver com uma suposta prova disto ou daquilo. É verdade, convivemos com a desordem urbana só pra vcs castigarem este ou aquele.

4 comentários:

Laguardia disse...

Amigos.
Não sou jornalista nem escrevo bem.
Sou aposentado, recebendo do INSS e tendo o IR descontado na fonte. Não recebo as benesses de nosso apedeuta mor que tem pensão do INSS acima do máximo, isento de Imposto de Renda por se achar perseguido político, ou melhor, por se anistiado político.
Luto com as armas que tenho que é um blog, como forma de desabafar ao ver tanta roubalheira, falta de ética, falta de honestidade e principalmente falta de vergonha na cara desta quadrilha que tomou de assalto o Palácio do Planalto.
Quero convidar os amigos a participarem da minha forma de protesto, o blog Brasil – Liberdade e Democracia - http://brasillivreedemocrata.blogspot.com/.
Se não levantarmos nossas vozes em protesto o que será deste país para nossos filhos e netos?
Agora é a hora de lutarmos por uma pátria livre democrática, e sobre todo com governantes honestos e éticos.

Luis Tavares disse...

Experimente poesia.
Pensar poesia.
Escrever poesia.
Folhear poesia.
Experimente cantar
Um samba bom porque contém poesia,
Uma balada,
Uma canção de ninar...
Experimente amanhecer poesia,
Adormecer poesia,
Experimente sonhar...
Experimente, ao caminhar, poesia,
Antes de ir comprar pão na padaria,
Experimente depois do jantar...
Experimente poesia no trabalho,
Poesia com pão de alho
Ou com cerveja, num bar...
Experimente, pra sua mãe, poesia,
Pra sua filha,
Pra sua esposa, experimente poesia,
Ou pra mulher que você pretende conquistar...
Experimente,
Feito um antibiótico prum doente,
Feito um perdão pra não mais pecar.
Experimente poesia simplesmente.
Você vai gostar.
Ao prescrever, experimente poesia.
Experimente ao amamentar.
Ao escrever,
Ao preencher a guia,
Experimente quando a dor chegar.
Experimente. Pode ser a cria,
O filho que ta quase pra nascer.
Experimente. Pode ser a cura.
A noite escura quase a clarear.
Experimente. Pode ter o gosto
Da fruta saborosa de comer.
Experimente. Pode ser o dia
De praia boa pra mergulhar.
Experimente tentar.
Experimente poesia ao caminhar
Ou quando a raiva passar.
Experimente quando quiser surpreender
Ou quando você quiser desabafar.
Experimente pra se proteger,
Experimente pra se controlar,
Experimente poesia..
E nem é preciso conseguir. Basta tentar.
A simples tentativa tem um gosto
Quase impossível de se comparar.
Experimente poesia.
Contra o azar, experimente poesia,
Contra os distúrbios no lar,
Contra a insônia, contra a carestia,
Experimente contra o mal estar,
Experimente contra a tirania,
Experimente contra o regime militar,
Experimente contra a cleptocracia,
Experimente, sem se controlar...
Experimente poesia.
A poesia pode salvar
O condenado da noite fria
E o naufrago infeliz de se afogar.
A poesia pode ser a única garantia
A porta feita para escapar
Da cólera, do câncer, da agonia,
Da chuva acida, da aridez, da azia,
Dos psiquiatras, da psiquiatria,
Do mau humor e do mal estar...
E pode, a poesia, assim, salvando,
Como um tapete mágico levar
Você pra dentro de você,
Pra longe,
Pra onde você nem pode imaginar...
Experimente arriscar
Perante a vida,
Na hora da morte,
Antes da prova do vestibular.Depois da queda,
Antes da cirurgia,
Experimente na hora de se casar...
Experimente num mail pra Santa Maria,
Experimente ao remar,
Experimente sob o chuveiro,
Experimente no Rio de Janeiro,
Experimente sempre que viajar...
Experimente poesia.
Experimente em boa companhia,
Experimente em plena ventania,
Experimente em pleno alto mar.
Experimente assim, dessa maneira,
A poesia como coisa inteira,
A poesia em todo lugar...
Experimente saborear poesia,
Um prato cheio,
Um tasco,
Uma fatia,
Experimente...
Eu te garanto:
Você não vai conseguir parar
De experimentar...

Eduardo Félix disse...

www.cabrunco.quissama.com
Entrem nesta nova rede social!

Eduardo Félix disse...

Conheçam esta nova rede social

www.cabrunco.quissama.com